A DGS - Direção Geral da Saúde deferiu o pedido de autorização da SIPRP para a prestação de serviços de Medicina do Trabalho a empresas que exerçam atividades que envolvam o contacto com correntes elétricas de média e alta tensão.

Com esta alteração, ascende a seis o número de atividades ou trabalhos de risco elevado autorizadas pela DGS, de acordo com o artigo 79.º da Lei n.º 3/2014, de 28 de janeiro, a saber:

- Trabalhos em obras de construção, escavação, movimentação de terras, túneis, com riscos de quedas em altura ou de soterramento, demolições e intervenções em ferrovias e rodovias sem interrupção de tráfego;

- Atividades que envolvam a utilização ou armazenagem de quantidades significativas de produtos químicos perigosos suscetíveis de provocar acidentes graves;

- Atividades que envolvam contactos com correntes elétricas de média e alta tensão;

- Atividades que impliquem a exposição a agentes cancerígenos, mutagénicos ou tóxicos para a reprodução;

- Atividades que impliquem a exposição a agentes biológicos do grupo 3 e 4;

- Trabalhos que envolvam risco de sílica.

Dia 11 de outubro de 2013 estivemos fora do escritório por motivos muito especiais. Estivemos no GIRO 2013 (Grace Intervir Recuperar Organizar) a ajudar quem precisa. Esta é a maior ação de voluntariado corporativo em Portugal e a SIPRP esteve presente pelo segundo ano consecutivo.

Na SIPRP vemos a prevenção de riscos profissionais como uma das bases de gestão e um fator de qualidade e de competitividade. Levamos a sério o que fazemos e valores como a Integridade, a Solidariedade e a Inovação são para nós absolutamente fundamentais.

A evolução e as mudanças resultantes testam-nos e desafiam as nossas capacidades diariamente e a muitos níveis.

Não estamos alheios à realidade envolvente e queremos estar preparados, o que para nós significa compreender o impacto que as transformações têm, não só na empresa ao nível da estrutura e sucesso comercial mas também na amplitude de consequências para colaboradores e meio envolvente.

Nunca fomos reativos e a passividade e a indiferença não estão decididamente no nosso ADN.

Não são pressões ou modas que nos movem. Fomentámos desde o primeiro dia o contributo direto para a comunidade através de ações decorrentes de iniciativas organizadas, como as ações que nascem no seio do GRACE, ou pontuais que surgem através do conhecimento informal, prestando o apoio que nos é possível em cada situação (doação de material informático, vestuário ou outros bens, ações de promoção do bem-estar animal ou ações de cariz ambiental a diversos níveis).

A nossa associação ao GRACE reflete este espírito, um espírito de respeito e cidadania ativa.

ACT PME Excelência Grace